Contactos

Somos um grupo de cidadãos portugueses, sem afiliação política específica, pertencendo a uma rede europeia cujo objetivo é a investigação da viabilidade de um rendimento básico a nível europeu. O grupo é inteiramente composto por voluntários, pelo que todos são bem-vindos a juntar-se a nós.

O movimento RBI-Portugal é um movimento afiliado ao BIEN (Basic Income Earth Network).

 

Contacto geral: Roberto Merrill (Porta-voz do movimento RBI-Portugal):

    (+351) 917 080 519 / nrbmerrill@gmail.com

 

Os contactos dos membros do comité de organização do Congresso BIEN 2017 estão disponíveis infra:

 

Sara Bizarro

Sara Bizarro tem um Doutoramento em História da Filosofia pela Universidade de Lisboa, Departamento de Filosofia de Lisboa. Fez também um Post-Doc em Ciência Cognitiva e Filosofia da Mente e foi professora visitante na Universidade de Nova York, Tulane University e na Universidade de Rutgers. Sara Bizarro participou em muitas conferências internacionais, incluindo as conferências organizadas pela Sociedade Europeia de Filosofia e Psicologia e Rumo a Uma Ciência da Consciência, entre muitas outras. Ela publicou vários artigos, capítulos de livros e recensões de livros em Filosofia da Mente e outros tópicos. Actualmente interessa-se por Filosofia Política e questões de Justiça Social, colabora com o movimento Rendimento Básico Incondicional em Portugal e está a escrever um livro sobre o Rendimento Básico Incondicional em parceria com o Roberto Merrill. 

Email: sfbizarro@gmail.com

Webpages: http://www.ifilnova.pt/pages/sara-bizarro

https://unl-pt.academia.edu/SaraBizarro

 

Lídia Martins

Lídia Martins nasceu em 1967 no Porto, desde sempre ligada às áreas da Comunicação. Emigrou para a Bélgica há 20 anos, sendo intérprete de conferências e desenvolvendo actividade cidadã nas áreas da emigração e democracia participativa. É dirigente e cooperante associativa, tanto em Portugal e como Bélgica. Conta com mais de 20 anos de experiência em organização de eventos. Para conhecer melhor a sua actividade:

Email: lidiamartins@yahoo.com

Websites: http://2015ccpbelgica.tumblr.com/lidia

http://portuguesesnadiaspora.blogs.sapo.pt

http://www.ivoox.com/podcast-ser-portugues-aqui-radio-alma-bruxelas_sq_f1278595_1.html

 

Mafalda Farmhouse 

Mafalda Farmhouse nasceu em Lisboa em 1959. Trabalhou no Serviço de Estudos do Ambiente depois de concluir o ensino secundário e antes de ingressar na faculdade. Licenciou-se em Arquitetura Paisagista na Universidade de Évora. Trabalha na Câmara Municipal de Lisboa desde 1990, na área do ambiente, espaço público e mobilidade.

No período que viveu em Évora adquiriu a consciência política que muitos anos mais tarde a levou a aderir à militância partidária como exercício de cidadania. Acredita que é necessário e urgente encontrar novas formas de organização da sociedade capazes de lidar com as transformações decorrentes da globalização e do desenvolvimento tecnológico e considera que a discussão sobre o rendimento básico é uma etapa fundamental no caminho a percorrer.

Email: mafalda.farmhouse@gmail.com

 

Graça Rojão 

Graça Rojão nasceu na Covilhã há 49 anos e tem 2 filhos. É socióloga de formação e interventora social de profissão. Começou a trabalhar em iniciativas de educação para o desenvolvimento, esteve ligada a organizações de desenvolvimento local e actualmente preside à CooLabora, uma cooperativa de intervenção social, onde trabalha. Está especialmente interessada em questões relacionadas com a economia solidária (nomeadamente finanças alternativas e moedas sociais) e com a igualdade de género.

Participa em algumas redes como o Cidadania & Território, o Fórum para as Finanças Éticas e Solidárias e a Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres.

O RBI mobiliza-a porque é uma utopia realista que abre caminhos novos ao questionar em simultâneo o (insustentável) crescimento económico, o consumismo, a centralidade do trabalho e as políticas assistencialistas.

Website: www.coolabora.pt

E-mail: gracarojao@gmail.com

 

Sara Trindade
Sara Trindade é (entre outras coisas) trabalhadora social e ativista.

Licenciou-se em Serviço Social (ISSSP) e é mestranda em “Migrações, Inter-Etnicidades e Transnacionalismo” (FCSH-UNL). O seu percurso profissional tem vindo a ser marcado por problemáticas ligadas à saúde e exclusão social, migrações, direitos humanos, economia alternativa e solidária e desenvolvimento sustentável.

É ativista fundadora do movimento social que deu origem ao I Fórum Finanças Éticas e Solidárias (2015), no qual assumiu a coordenação executiva, apostando na promoção e construção do trabalho de rede e potenciação da comunicação e sinergias entre pessoas e organizações, interessadas e implicadas em desenvolver instrumentos financeiros alternativos em Portugal.

É ainda membro de outras redes nacionais como e a Rede Sobre Trabalho Sexual e o Fórum Cidadania & Território.

A sua incursão no movimento social sobre o RBI passa pelo seu interesse no estudo de propostas de organização social sob paradigmas pós-capitalistas.

E-mail: sara.trindade@gmail.com

 

Bárbara Borges

Bárbara Borges é engenheira informática a viver no Porto. Ela estudou na Noruega durante dois anos e depois seguiu para os Estados Unidos, onde se licenciou com um "double major" em Estatística e Ciência de Computadores (em Macalester College). Depois de quatro invernos gélidos no Minnesota, ela está de volta à sua quente pátria portuguesa. Quando não está ocupada a travar duelos com software bugs, ela pode ser encontrada a discutir temas de justiça social, entre os quais, o RBI. Para ela, o conceito de um rendimento básico é, neste momento, talvez a única ideia sólida e concreta em cima da mesa que a Esquerda pode aproveitar para criar mudança que seja transformativa e duradoura.

Email: barb.b.ribeiro@gmail.com

André Coelho

Engenheiro civil, doutorado em materiais de construção, pós-doutorado em resíduos da construção e demolição(impactes económicos e ambientais). No final de 2014 interessou-se pelo rendimento básico incondicional, respondendo a um anúncio de escritores, enviado pelo Karl Widerquist.

Desde então tem escrito artigos para o Basic Income News, e mais recentemente liderando as suas atividades como editor coordenador. Também tem participado nas atividades de ligação internacional do BIEN.

E-mail: ascmenow@gmail.com 

 

Martim Avillez Figueiredo

Martim Avillez Figueiredo, Sócio da Fabrica de Startups, maior aceleradora portuguesa, foi nos últimos três anos Chief Operating Officer no Grupo Impresa onde, antes, liderou a área de Novos Negócios.

Foi ainda responsável da marca Sonae e fez uma carreira no jornalismo onde se destaca a fundação do jornal diário i, eleito Jornal Europeu do Ano e de que foi diretor e acionista, o Diário Económico, que dirigiu durante quatro anos e, entre outras posições e títulos, lançou a revista Sábado de que foi diretor adjunto.

Mestre em Teoria Política pelo Instituto de Estudos Políticos da Universidade Católica Portuguesa, onde é professor convidado, foi bolseiro Gulbenkian na Universidade de Oxford. Tem um AMP conjunto pela Kellog University e pela Católica School of Business. Autor do livro Será que os Surfistas devem ser subsidiados (Aletheia, 2013), tem 44 anos. É casado com a Rita e têm dois filhos.

Email: martimavillezfigueiredo2010@gmail.com

 

Pedro Teixeira

Pedro Teixeira é doutorando em Ciência Política no Instituto Otto-Suhr (Freie Universität, Berlim). Foi Assistente de Investigação no Departamento de Finanças da London School of Economics (LSE) de 2014 a 2017, tendo completado um mestrado em Teoria Política na mesma instituição (2013). Antes de mudar para o campo da filosofia política, ele estudou Economia (MSc. e Licenciatura) na NOVA SBE, em Lisboa.

Os seus principais interesses académicos situam-se nos campos da história do pensamento político, idealismo alemão, marxismo, metodologias em teoria política e economia política. Ele escreve também sobre políticas de rendimento básico, focando-se especialmente na análise da viabilidade financeira do rendimento básico incondicional.

Email: pedro.teixeira@fu-berlin.de

 

Gonçalo Marcelo

Gonçalo Marcelo é licenciado em Filosofia e Doutorado em Filosofia Moral e Política pela Universidade NOVA de Lisboa. Atualmente, é bolseiro de pós-doutoramento, financiado pela FCT, no CECH (Univ. de Coimbra), desenvolvendo um projeto sobre a crítica da razão, em colaboração com a Católica Porto Business School (onde é Professor convidado) e a Columbia University, Nova Iorque.

Tem trabalhado diversas questões na interseção entre a economia, a ética e a filosofia social e política. Interessa-se pelo RBI na medida em que este lhe aparece como uma “utopia realista”, concreta, capaz de reformular radicalmente a forma como se pensa e discute as questões da pobreza, do mercado de trabalho e da desigualdade. Co-organizou a 1ª Conferência Ética, Economia e Sociedade - O Rendimento Básico Incondicional, que teve lugar na Católica Porto Business School em junho de 2016.

Webpage: https://ucp.academia.edu/Gon%C3%A7aloMarcelo

Email: goncalomarcelo@gmail.com

 

Pedro Ferrão

Pedro Ferrão reside atualmente na cidade de Vila Real exercendo atividade de agricultura por conta própria e ativismo em contextos informais, nomeadamente no âmbito do Rendimento Básico Incondicional.

Exerceu funções docentes na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, durante duas décadas, na área das ciências sociais e empresariais. Anteriormente, atividade empresarial e associativa.

Ao longo dos anos, realizou trabalho voluntário e profissional em diversos projetos ligados ao desenvolvimento local e à capacitação das pessoas, nomeadamente como facilitador, formador, e avaliador.

Tem sessenta e cinco anos e há cerca de três anos descobriu o conceito do RBI, tendo simpatizado facilmente com o seu potencial disruptivo e natureza emergente, compatível com a atual procura de soluções para uma sociedade menos desigual e mais inclusiva.

Email: pferrao@gmail.com

 

 

Pedro Ramajal

Pedro Ramajal nasceu no Porto, onde sempre viveu e vive, há 66 anos. Na juventude fez parte daqueles jovens que, das mais diversas maneiras, contribuíram para derrubar o fascismo.

 

Fê-lo divulgando as canções que a censura não permitia que passassem, nem na rádio nem na TV, tendo por únicas armas a voz e uma guitarra. Foi locutor, animador e eventual repórter de rádio. A maior parte da sua vida, porém, foi passada a desempenhar funções sindicais na Caixa Geral de Depósitos, de que foi trabalhador.

 

Desde sempre ligado à esquerda da esquerda, foi um dos fundadores do Bloco de Esquerda. “Tropeçou” no Rendimento Básico Universal em 2007, num livro, Antimanuel d’economie, cujo autor, Bernard Maris, professor de economia, viria a ser uma das vítimas mortais do atentado contra o Charlie Hebdo.

 

Em 2008, com um outro companheiro, João Lafuente, criou um blogue, (livrecidadania.blogspot.pt) dedicado à divulgação do RBI e realizaram, até, uma reunião de divulgação no Porto, na Casa Viva.

 

Em 2009, os dois, apresentaram à VI Convenção do BE um texto, bem como uma proposta de acrescento às teses maioritárias, no sentido de o Bloco abraçar o conceito do RBI, sem consequências até hoje, como é sabido. Hoje, é com enorme satisfação que constata que a maré do RBI vai subindo cada vez mais. E quer continuar a fazer parte dessa maré.

 

Email: pedroramajal@gmail.com